Imagem: Getty Images
Novik Djokovic culpa assessor por ''mal entendido'' na Austrália

Novik Djokovic culpa assessor por ''mal entendido'' na Austrália

Ao chegar à Austrália na semana passada, o tenista sérvio Novik Djokovic informou que não havia feito viagens nos 14 dias anteriores, quando, na verdade, havia ido para a Espanha. Agora, culpa a figura de um assessor pelo preenchimento errado de um formulário de viagem exigido para entrar nesse país.
Na segunda-feira, dia 10, uma decisão judicial autorizou o tenista sérvio a permanecer no país e disputar o Australian Open, mesmo sem apresentar um certificado de vacinação. Mesmo assim, o ministro do Interior australiano, Alex Hawke, pode determinar sua deportação nos próximos dias.

Os jornais australianos noticiaram que o tenista mentiu ao preencher o formulário, alegando que não havia viajado nos 14 dias anteriores à ida para a Austrália, quando na verdade esteve na Espanha durante as festas de fim de ano, tendo sido visto treinando três dias seguidos em quadras na praia de Marbella, litoral do Mediterrâneo.

Em uma postagem no Instagram, Djokovic aproveitou para tentar explicar o fato de ter participado de eventos públicos em dezembro, mesmo após ter testado positivo para Covid-19. Ele tentou se desculpar dizendo que apenas participou de uma sessão de fotos e entrevista para o jornal francês L'Equipe, dia 18 de dezembro, em Belgrado, declarando que "não gostaria de ter decepcionado os jornalistas".

Causando decepção não só aos jornalistas como também a toda comunidade internacional do esporte, Djokovic segue agora treinando na Austrália para o primeiro confronto do Grand Slam do ano, enquanto aguarda uma decisão sobre sua permanência por parte das autoridades australianas. Até segunda-feira, quando teve julgado seu caso, o tenista sérvio permaneceu por cinco dias detido em um hotel, sem a possibilidade de sair para prosseguir seus treinamentos.

Ir para IPO News