Imagem: Divulgação
Maria Fernanda, 96 anos, filha da poetisa Cecília Meireles

Maria Fernanda, 96 anos, filha da poetisa Cecília Meireles

Uma das últimas remanescentes da primeira geração de atrizes da dramaturgia contemporânea no país, da qual fizeram parte Cacilda Becker, Tônia Carrero, Maria Della Costa, Odete Lara, Ilka Soares e Eliane Lage (atualmente com 94 anos), a carioca Maria Fernanda morreu na Casa de Saúde São José no último sábado, no Rio de Janeiro, aos 96 anos.

Segundo o hospital onde estava internada, Maria Fernanda morreu em decorrência de uma pneumonia bacteriana. Viúva, ela deixou um único filho, Luiz Heitor Fernando Meireles Gallão, fruto de seu primeiro casamento com o diretor de TV Luiz Gallon. De seu segundo casamento, com o pintor e escritor Oscar Araripe, não teve filhos.



Foto: Wikipédia

Batizada Maria Fernanda Meirelles Correia Dias, a atriz nasceu no Rio de Janeiro em 25 em outubro de 1925. Era uma das três filhas da poetisa Cecília Meireles, todas Marias (Maria Mathilde e Maria Elvira, já são falecidas) com o pintor português Fernando Correia Dias, que se suicidou quando ela tinha 10 anos de idade.

Na televisão, interpretou personagens marcantes em novelas como "E o Vento Levou" (1956), da Tupi; "Gabriela" (1975) e "Pai Herói" (1979), da Globo; e Dona Beja (1986), da TV Manchete. No cinema, participou de mais de 20 produções, entre elas "Carlota Joaquina, Princesa do Brazil", no qual interpretou a Rainha D. Maria I, a louca.

Mas foi no teatro que Maria Fernanda se consagrou artisticamente - interpretou Ofélia na primeira montagem brasileira da peça "Hamlet"; ganhou todos os prêmios teatrais do país pela icônica personagem Blanche DuBois, de "Um Bonde Chamado Desejo", e por anos foi jurada teatral do Prêmio Shell.

"Um Bonde chamado Desejo", ficou em cartaz por quase 10 anos e rendeu a Maria Fernanda os principais prêmios teatrais da época, incluindo o primeiro Moliére de Melhor Atriz (1963). Sua interpretação se tornou tão célebre que chegou a ser assistida pela própria Vivien Leigh, vencedora do Oscar (1952) pelo mesmo papel, por ocasião da visita da atriz ao Brasil.

Também a intérprete de Scarlet O'Hara em "E o Vento Levou" e ganhadora do Oscar pelo trabalho em "Um Bonde Chamado Desejo", Vivian Leigh chegou a visitar Cecilia Meirelles no hospital, acompanhando Maria Fernanda. Restabelecida, a escritora não esqueceu da gentileza e fez um poema para a atriz britânica, nascida na Índia e que se consagrou em Hollywood.

Maria Fernanda iniciou a carreira artística em 1948, interpretando a personagem Ofélia, na primeira montagem de "Hamlet" feita no Brasil, ao lado de atores como Sergio Cardoso e Sergio Britto. Logo depois, se mudou para a Europa para estudar artes cênicas.

Os últimos trabalhos de Maria Fernanda como atriz foram em 2004, na peça "A Importância de Ser Fiel", do Grupo TAPA; e em 2015, no filme "O Quinze" (2005), baseado na obra de Rachel de Queiroz. A partir daí, resolveu se aposentar em definitivo dos palcos e das telas do cinema e da TV.

Ir para IPO News