António Osório-Horta, chairman do Credit Suisse | Imagem: Divulgação
Chairman do Credit Suisse foi ver o jogo em Wimbledon, e perdeu o emprego

Chairman do Credit Suisse foi ver o jogo em Wimbledon, e perdeu o emprego

António Osório-Horta, chairman do Credit Suisse, um dos bancos mais poderosos do mundo, pediu demissão do seu cargo na madrugada deste domingo, após investigação interna que apontou violações nas regras de quarentena da instituição bancária em relação à pandemia de Covid-19.

A imprensa suíça informou que a saída do executivo português, também cidadão britânico, deveu-se a sua ida ao torneio internacional de Wimbledon, durante o verão europeu, entre junho e julho do ano passado, o que teria configurado quebra da quarentena imposta a todos os funcionários pelo banco.




A demissão acontece cerca de oito meses após a contratação do executivo, conhecido por sua ampla experiência no Santander e no Lloyd's, e que galgou carreira no setor financeiro dando seus primeiros passos no Citibank e na Goldman Sachs. No entanto, sua saída está cercada de mistério, pois, além da quebra de quarentena, Osório-Horta estaria enfrentando problemas como apostas mal feitas em 'hedge funds' e um episódio interno de espionagem.

No ano passado, o executivo português assumiu o comando do banco suíço justamente para contornar um escândalo de espionagem, a quebra da companhia de investimentos Archegos e a insolvência da empresa britânica de financiamento da cadeia de suprimentos Greenshill Capital, entre outros problemas na ocasião. Combinados, esses casos teriam causado um prejuízo de bilhões de dólares para o Credit Suisse.

"Lamento que várias das minhas ações pessoais tenham causado dificuldades para o banco e comprometido minha capacidade de representá-lo tanto interna como externamente. Acredito, porém, que minha demissão é do interesse do banco e de seus stakeholders", disse em comunicado divulgado pelo Credit Suisse. Em seu lugar, assumiu imediatamente Axel Lehmann, executivo suíço e ex-diretor do UBS, que se juntou ao Credit em outubro do ano passado.


Axel Lehmann - Divulgaçâo

A queda de Osório-Horta por um passeio considerado irregular pelo Credit Suisse se deu no mesmo domingo e no mesmo ambiente (do tênis) do caso da deportação de Novak Djokovic da Austrália. Depois de aproximadamente 10 dias de idas e vindas, com direito à detenção de cinco dias em um hotel, o tenista sérvio foi finalmente obrigado a deixar o país e perdeu a disputa do Aberto da Austrália.

Ir para IPO News