Imagem: Reprodução Youtube
Desaprovado pela população, touro de ouro é retirado do centro de SP

Desaprovado pela população, touro de ouro é retirado do centro de SP

O touro de ouro, escultura polêmica instalada na semana passada em frente ao prédio da bolsa de valores (B3) no centro antigo de São Paulo, foi retirado ontem (terça-feira) pela falta de licença urbanística para ocupar o local. A determinação partiu da Comissão de Proteção à Paisagem Urbana (CPPU), e ganhou os top trends do twitter e também de outras redes sociais.

A CPPU faz parte da Secretaria Municipal de Urbanismo e Licenciamento (SMUL) da Prefeitura de São Paulo, que determinou a retirada da obra de gosto duvidoso para muitos e estipulou que uma multa deve ser aplicada pela prefeitura pela falta de licença urbanística para a estátua ocupar o local, infringindo os artigos 39 e 40 da Lei Cidade Limpa

Além da falta de licença, a Prefeitura também considerou que a estátua é uma peça publicitária - o touro de ouro é nome de programa de rádio de um influencer que participou diretamente da viabilização e instalação do touro no espaço em frente à bolsa.

Desde o primeiro dia, os protestos foram intensos e ganharam cada vez mais adesões de pessoas que circulam pelo local e sobretudo pelas redes sociais. As comparações com o touro de Wall Street - uma escultura em bronze que é símbolo do mercado financeiro em Nova York há mais de 30 anos - foram inúmeras, sendo que a cópia de projeto original norte-americano foi negada pelos autores e patrocinadores da obra.

O desgaste sofrido pela B3 foi grande, e o touro considerado um "azarado", já que o Ibovespa só caiu nos últimos nove dias. Além disso, protestos se avolumaram diante da sede da bolsa, com cartazes contra a fome e a concentração de renda, discursos, reportagens e até um churrasco de membros de dois coletivos de pessoas que vivem e transitam pelo centro, entre outras manifestações.


Ir para IPO News