Revista Hippus, a última redação de Samuel Wainer

Revista Hippus, a última redação de Samuel Wainer

O Caderno Eu & Fim de Semana, do jornal Valor, traz em sua mais recente edição um perfil do jornalista Samuel Wainer, o fundador da Última Hora, que foi uma escola para muitos bons jornalistas a partir dos anos de 1950 e até início da década de 60, quando fechou. O texto é de autoria do jornalista Matías M. Molina, espanhol radicado no Brasil que foi editor-chefe da Gazeta Mercantil. Ele escreve à propósito de recente biografia lançada sobre Wainer, que morreu em 1980.

Quando morreu, Samuel Wainer morava em São Paulo, depois de muitos anos e aventuras jornalísticas no Rio e no exterior, onde foi correspondente. Com 70 anos, fumante inveterado e já doente, ele teve como último emprego o cargo de editor assistente de uma revista de cavalos lançada pela Editora Três, de Domingo Alzugaray. Argentino que começou sua carreira como ator, depois foi jornalista e por fim empresário, Alzugaray, dono da revista IstoÉ, morreu em 2017, aos 85 anos. Criador de cavalos puro-sangue inglês de corrida, em sociedade no Haras El Manzanar, na Argentina, ele deu uma tacada ousada em 1979, ao colocar no mercado a revista HIPPUS, voltada às competições hípicas e a todas as raças de cavalos.



Edição de estreia da Revista Hippus

A edição de estreia saiu em setembro de 1979, e causou furor no meio hípico e empresarial. Era um investimento e tanto, tendo como editores o casal Domingo e Cátia Alzugaray, e Samuel Wainer como editor-assistente. O time de colaboradores era cinco estrelas: Silvio Lancelotti, Alik Kostakis, Jorge da Cunha Lima, Paulo Henrique Cardoso, Zélio Alves Pinto, Wesley Duke Lee, Negreiros, Carlos Eduardo de Salles Gomes, David Drew Zingg, Jean Solaris, Bob Wolfeson e Edison Chieregatti - o melhor fotógrafo do turfe brasileiro de todos os tempos.


Samuel Wainer

Com esse timaço de colaboradores e patrocinadores como Rolls Royce, Rastro, Rolex, Varig, Technos, Volkswagen, Honda, Ford, Banco Real, Heublein, a HIPPUS traria logo de saída uma edição cheia de atrativos: uma reportagem na Fazenda Jamaica, do criador de cavalos árabes, ex-governador Roberto de Abreu Sodre; uma matéria sobre Federico Tesio, o mago da criação italiana de cavalos PSI em seu haras, Razza Dormello Olgiata; e um ensaio fotográfico com mulheres ligados aos esportes equestres, como Mariângela Bordon, a atriz Débora Duarte, Cléa Dalva (esposa de Aloysio Farias), Myrian Moreira da Costa e a desenhista especializada em cavalos, Guy Gelfei, ex-atriz da TV Tupi, onde era conhecida como Guy Loup.

A vida de HIPPUS foi longa, tendo sido editada por muitos anos pela jornalista Rute Araújo, entre outros bons profissionais especializados. A revista permaneceu ativa até o início dos anos 2000, completando um ciclo de publicação de pouco mais de 20 anos, muito bom para o mercado editorial brasileiro, cumprindo sua missão de divulgar e promover o mundo equestre nacional e internacional.

Ir para IPO News