Roberto Medina | Imagem: Divulgação
São Paulo será palco do festival The Town, em 2023

São Paulo será palco do festival The Town, em 2023

O autódromo de Interlagos, templo do automobilismo brasileiro, vai ficando cada vez mais conhecido por sua vocação para shows de música. Depois do Lollapalooza, agora a pista localizada na zona sul da capital paulista vai receber, a partir de 2023, o The Town, que marca a entrada do empresário carioca Roberto Medina no mercado de entretenimento de São Paulo.



Divulgação Rock in Rio

O criador do Rock in Rio e o Prefeito da capital, Ricardo Nunes, assinaram ontem o contrato do evento, que será realizado em setembro de 2023 em rodízio com o famoso festival carioca, com versão programada para o ano que vem no Rio e uma etapa fixa internacional, realizada em Portugal.

Em vídeo publicado nas redes sociais, o secretário de Governo da Prefeitura, Rubens Rizek, um dos signatários do contrato, lembrou do envolvimento desde o início do Prefeito Bruno Covas, que morreu há dois meses, na viabilização desse festival, que depois foi encampado por Nunes.


Apesar de ter sua marca muito estampada no cenário do Rio, onde fez fama com eventos e tem a sede de sua empresa, a Rock World, Roberto Medina quer fazer algo diferente em São Paulo, mas já adiantou que não será parecido com o Lollapalooza, mais focado em rock, indie, punk e rap. É o que ele chama de "mais transversal", significando que pode incluir no set artistas como Anitta ou Ivete Sangalo, que já se apresentaram no Rock in Rio.

O investimento inicial da Rock World no novo festival será de R$ 240 milhões, ficando a Prefeitura, em contrapartida, incumbida de fazer melhorias de infraestrutura no autódromo. A previsão de público é de pouco mais de 100 mil pessoas em cada um dos cinco dias de evento.

A entrada de Roberto Medina no cenário paulista promete aquecer a disputa pelo nicho de lazer e entretenimento, sobretudo o musical, no pós-pandemia. O Lollapalooza está marcado para acontecer nos dias 25, 26 e 27 de março do próximo ano, também em Interlagos, que tem sido sua base nos últimos anos.

O festival, criado pelo músico norte-americano Perry Farrell, desembarcou no Brasil com um show que serviu de embrião e deu certo. Foi a apresentação do rapper Eminem em dezembro de 2010, no Jockey Club de São Paulo. Trinta mil pessoas assistiram ao show, que depois virou o Lollapalooza no próprio Jockey Club, até passar poucos anos depois para o autódromo.


Eminem f1 Rocks - Jockey Club de São Paulo

Além do autódromo de Interlagos e do hipódromo de Cidade Jardim - que depois do show de Eminem em 2010 foi aos poucos perdendo a vocação para eventos -, a cidade de São Paulo é hoje bem aparelhada com seus estádios de futebol para receber shows e festivais internacionais. Os estádios do Morumbi e do Pacaembu (em reforma) já serviram bastante a esse segmento. O Allienz Park é mais novo e também foi aprovado para receber grande público. E a Neo Química Arena ainda não foi testada, embora tenha boa infraestrutura e acesso por linha de Metro.


Lollapalooza  - Jockey Club de São Paulo

Em entrevista a alguns veículos de imprensa em março último, o empresário Fernando Alterio, presidente da Time For Fun, apontou uma visão otimista para o mercado de entretenimento a partir de 2022, com a vinda de muitos artistas e bandas internacionais. Sua empresa é a atual organizadora e promotora do Lollapalooza, e também trouxe ao Brasil os espetáculos do Cirque du Soleil.

Ir para IPO News