O Papa com os membros da Fraternidade Política Chemin Neuf | Imagem: Vaticano - divulgação
Papa Francisco: ''política é reflexão, formulação de um projeto comum''

Papa Francisco: ''política é reflexão, formulação de um projeto comum''

Com uma mensagem moderna, atual e frenteamplista, o Sumo Pontífice recebeu em Roma um grupo de jovens e falou sobre a formulação de um projeto comum, de reflexão e ação, e da constante busca da unidade para não se perder no conflito.

Como tem feito em algumas oportunidades durante seu período à frente da Igreja, o Papa Francisco voltou a receber, na manhã desta segunda-feira, dia 16, uma delegação da Fraternidade Política e da Comunidade "Chemin Neuf" da França. Com algumas semelhanças à congregação que, no Brasil, é conhecida como Igreja Canção Nova, a comunidade é formada por um corpo apostólico fundado em 1972, em Lyon, na França, por iniciativa do seminarista jesuíta Lauren Fabre, que compartilha a espiritualidade inaciana e carismática, as suas missões e a vida fraterna.

Política é encontro, reflexão e ação", disse o Papa no início de seu discurso aos jovens da Chemin Neuf, como mostrou reportagem do site Vaticannews. "Address of his Holiness Pope Francis to members of the Political Fraternity of the Chemin Neuf Community", foi o título da carta endereçada pelo Pontífice aos membros da comunidade, segundo divulgado pelo site oficial Vatican.va.

"A política é acima de tudo a arte do encontro. Certamente, este encontro é vivido acolhendo o outro e aceitando sua diferença, num diálogo respeitoso. Como cristãos, no entanto, há algo mais: uma vez que o Evangelho nos pede para amar os nossos inimigos, não posso me contentar com um diálogo superficial e formal, como aquelas negociações muitas vezes hostis entre partidos políticos. Somos chamados a viver o encontro político como um encontro fraterno, especialmente com aqueles que menos concordam conosco; e isso significa ver naquele com quem dialogamos um verdadeiro irmão, um filho amado de Deus. Essa arte do encontro começa com uma mudança de olhar sobre o outro, com um acolhimento e respeito de sua pessoa sem condições. Se essa mudança de coração não ocorrer, a política corre o risco de se transformar num confront o muitas vezes violento, a fim de fazer triunfar as próprias ideias, numa busca de interesses particulares e não do bem comum, contra o princípio de que "a unidade prevalece sobre o conflito".


Francisco disse ainda que "do ponto de vista cristão, a política também é reflexão, ou seja, a formulação de um projeto comum". "Como cristãos, entendemos que a política se leva adiante com uma reflexão comum, em busca desse bem geral, e não simplesmente com o confronto de interesses conflitantes e muitas vezes opostos. Em síntese, "o todo é maior que a parte" e nossa bússola para elaborar este projeto comum é o Evangelho, que traz ao mundo uma visão profundamente positiva do ser humano amado por Deus."

Prosseguindo em sua fala, o Papa Francisco defendeu a união de propósitos em busca de um objetivo maior, e reforçou a tese da unidade:

"Como cristãos, precisamos sempre confrontar nossas ideias com a profundidade da realidade, se não quisermos construir na areia que mais cedo ou mais tarde acaba cedendo. Não nos esqueçamos de que "a realidade é mais importante do que a ideia". Portanto, encorajo seu compromisso com os migrantes e a ecologia. Soube que alguns de vocês escolheram viver juntos num bairro popular de Paris, para ouvir os pobres: esta é uma maneira cristã de fazer política! Não se esqueçam que a realidade é mais importante do que a ideia: não se pode fazer política com ideologia. O todo é maior que a parte, e a unidade é maior que o conflito. Buscar sempre a unidade e não se perder no conflito"

Ir para IPO News