Nubank cai 8,22% na Nyse, ao anunciar mudanças na venda de ações

Nubank cai 8,22% na Nyse, ao anunciar mudanças na venda de ações

As ações do Nubank caíram 8,22% nesta terça-feira, dia 3, fechando na mínima histórica de US$ 5,47 na Bolsa de Nova York (Nyse). No mesmo dia, o banco anunciou uma antecipação na data do fim do lock-up e, agora, investidores que estavam impedidos poderão vender suas ações no dia seguinte ao balanço do primeiro trimestre, previsto para ser divulgado no próximo dia 17 de maio.

Desde que promoveu sua concorrida oferta inicial de ações (IPO), no dia 8 de dezembro, quando foi precificado a US$ 9, o Nubank (NU) acumula perdas de 39,2%, já contabilizada a forte queda desta terça. No lançamento, a maior fintech do mundo, com 53 milhões de clientes atualmente entre Brasil, México e Colômbia, chegou a apresentar avaliação maior do que os dois principais bancos brasileiros - Itaú e Bradesco - posto que começou a perder já no início de janeiro, diante de perdas registradas por empresas de tecnologia não só na Nyse como também na Nasdaq.

A agência Bloomberg calculou que a antecipação do fim do lock-up significará quase US$ 26 bilhões de ações disponíveis no mercado para venda. Na avaliação do J.P. Morgan, 20% dos papéis devem ser colocados no mercado com o fim da restrição.

Sobre o cálculo da Bloomberg, o Nubank informou que "nosso foco é impulsionar o crescimento de longo prazo e gerar valor para nossos acionistas e clientes. Da mesma forma, sempre reiteramos nossa posição de buscar o longo prazo e a qualidade de investidores que estejam alinhados à nossa visão estratégica para o negócio".

A fintech também se apressou a informar o sistema financeiro que não pretende fazer qualquer oferta secundária de suas units, diante da pressão vendedora que seus movimentos fizeram o mercado crer. O Goldman Sachs observou que a antecipação de prazo elimina o 'overhang' mais cedo, aproveitando a divulgação do balanço, e não três semanas depois.

Ainda segundo a Bloomberg, o fim do lock-up não causará uma enxurrada de vendas das ações do Nubank pois, segundo a agência, os próprios vendedores seriam afetados pelo negócio e os fundadores também não deram sinais que irão se desfazer de suas units.

A notícia vem na sequência de outra que causou grande surpresa nos investidores de todo o mundo. Na semana passada, foi divulgado um plano de remuneração dos executivos do banco de até R$ 804 milhões. A tal remuneração variável estaria condicionada ao cumprimento de metas. O fundador da fintech, o colombiano David Vélez, ficaria com o grosso desse montante, com uma parte menor dividida entre os demais executivos.

A liberação dos papéis para venda não contempla os BDRs (NUBR33) que foram distribuídos aos correntistas no programa NuSócios. Essas ações ficarão disponíveis para comercialização apenas em dezembro, como inicialmente programado. No pregão desta terça-feira, os BDRs desabaram 10%, acumulando perdas de 48% somente em 2022.

Ir para IPO News