Para onde viajar depois da pandemia? 10 destinos pra você se inspirar

Para onde viajar depois da pandemia? 10 destinos pra você se inspirar

Em 2020 fomos surpreendidos e vimos o "mundo parar". A pandemia pelo COVID-19 mudou os planos de todo mundo. Tivemos que nos reinventar, ser pacientes e entender que determinadas coisas estão fora do nosso alcance. Apesar de todas as dificuldades, defendo a ideia que não podemos parar de sonhar e planejar (ainda que ainda não sejam planos concretos), e justamente por isso separei essa lista com destinos incríveis para viajar depois que a pandemia acabar.

O objetivo desse post não é dizer quando, pois definir tempo nesse momento é jogo de adivinhação. Alguns dizem que 2020 não será mais um ano para viagens internacionais, outros, mais otimistas, ainda têm esperança de viajar para fora do país até o final do ano.

Quem está certo não sabemos, tampouco quero usar esse espaço para emitir minha (leiga) opinião quanto a isso. O que vou fazer a partir de agora é te inspirar, levar a ideia de que por mais difícil que esteja a situação, uma hora há de melhorar, e o nosso passaporte voltará a receber muitos carimbos!

Partindo do pressuposto que indico viagens internacionais somente diante de um cenário de segurança e possibilidade (fronteiras abertas), a lista foi criada tendo como parâmetro os fatores "custo-benefício" e "experiência".

Como tendência para as viagens pós pandemia, aposto num turismo de experiência, muito mais focado no gosto pessoal e estilo do viajante do que apenas no antigo costume que fazia com que a maioria das pessoas optassem pelo local mais turísticos, repleto dos atrativos mundialmente conhecidos.

Ao meu ver, a título de exemplo, "Torre Eiffel" sai de cena pra dar mais espaço a "Cote d'Azur" e "Fontana di Trevi" é substituída pelas cidadelas da Toscana, campos de girassóis e vinícolas familiares.

De outro lado, não posso desconsiderar a desvalorização do real frente a outras moedas. Isso pode ser fator decisivo na hora de escolher o seu destino "pós pandemia", razão pela qual eu ei de considerar o fator "custo-benefício" também.

Novas tendências:


A reserva de hospedagens via Airbnb já vinha ganhando destaque em destinos dos "quatro cantos do mundo".

No cenário pós pandemia, alugar casas, apartamentos, flat, studio por temporada, provavelmente passará a ser tendência, haja vista a privacidade que oferece, além de proporcionar um maior distanciamento entre as pessoas.

Viajar sem seguro viagem passa a ser impensável, mesmo para destinos que não exijam seguro obrigatório do viajante brasileiro.

A pandemia pelo COVID-19 nos mostrou o quando estamos expostos e somos vulneráveis a novas doenças.

Não viaje sem seguro!

A internet do celular também se mostra cada vez mais indispensável, pois não é apenas um recurso que lhe garante conforto, mas também segurança.

Ter a quem recorrer na hora de um apuro, entrar em contato com um conhecido, evitar erros no roteiro e pequenos acidentes de percurso. Já evitei (e consegui sair) de muitos perrengues pelo simples fato de ter celular com internet na palma da minha mão.

Feitas essas considerações iniciais, vamos à minha seleção de 10 destinos sugeridos para o pós pandemia?

1. Costa Rica

A Costa Rica é um país da América Central, que tem como característica principal as florestas tropicais. Está banhado pelo mar do Caribe ao leste e pelo Oceano Pacífico ao oeste.

Para quem gosta de história e cultura, sua capital, San Jose, conta com instituições culturais, a exemplo do Museu do Ouro Pré-Colombiano. Para quem é atraído por contemplar belezas naturais, Costa Rica é um prato cheio: praias, vulcões e grande biodiversidade.

É uma viagem ideal para quem costa de contato com a natureza, apreciar paisagens, fazer trilhas, caminhadas em vulcões, rafting, curtir um momento de relaxamento nas águas termais e nas belas praias do país.

E quanto ao investimento? A alta temporada na Costa Rica vai de dezembro a março. Se quiser preços melhores, evite esse período.

A moda oficial da Costa Rica é o Colón Costa Riquenho, mas o dólar e cartão de crédito são aceitos.



2. Uruguai

Além de ser um país fronteiriço, facilitando o deslocamento e evitando longos voos e conexões, o Uruguai agrada turistas que gostam de praias, ou aqueles que preferem cidades animadas ou mesmo que já estão pensando em um turismo mais intimista para o pós pandemia, e se imaginam tomando um bom vinho em uma região vinícola.

Para quem procura cidade, a dica é Montevidéu; para quem prefere praia, a boa pedida é Punta del Este; se o desejo for por cidade colonial charmosa, que tal Colonia del Sacramento?

A minha escolha seria por Carmelo:

Às margens do Rio da Prata, no sudoeste do Uruguai, a pacata Carmelo tem como vizinha a já citada Colonia del Sacramento (70 km).

Carmelo possui vinhedos com bodega, haras, campo de golfe e tudo que reflete um turismo de experiência, luxo e sofisticação. O destaque fica a cargo do Carmelo Resort & Spa.

Uma viagem ao Uruguai pode ser combinada com Buenos Aires, na Argentina.

E quanto ao investimento? Vai depender em absoluto do seu estilo de viagem. Enquanto uma viagem até Montevidéu, para passear pela cidade, provavelmente terá um custo mais baixo, a escolha por hotéis requintados em Punta del Este e Carmelo revelarão outro padrão de viagem.

A alternativa que sempre sugiro é não viajar no pico da alta temporada. Eu sei que se a escolha é por Punta del Este, por exemplo, o clima influencia bastante (praia), mas ainda assim dá para escolher uma data mais para o final da temporada, quando o movimento é menor e os preços um pouco melhores.

A moeda oficial do Uruguai é o peso uruguaio.



3. Marrocos

O país africano é ideal para turistas apaixonados por paisagens diferentes (desérticas), cultura e boa culinária.

Marrocos está localizado na costa oeste da África e cerca de 8 horas e meia separam São Paulo (ou Rio de Janeiro) de Casablanca, a capital desse país exótico.

O país conta com trens que ligam as suas principais cidades, ou mesmo voos internos. Você pode optar ainda por conhecer o país de carro, tendo a opção de contratar um motorista para lhe acompanhar durante o trajeto.

Sugestão de roteiro: Tânger, Chefchaouen, Fès, Medina, Azrou, Midelt, Merzouga, Todra, Dadès Gorges e Marrakech.

E quanto ao investimento? O Marrocos é considerado um país com ótima relação custo x benefício. O custo médio de uma refeição completa para duas pessoas, fica em torno de 20 euros. Todavia, bebidas alcoólicas são mais caras do os preços no Brasil.

A moeda oficial do Marrocos é o Dirham Marroquino.



4. Tunísia

Aposto que pouca gente já pensou em passar as férias na Tunísia. Entretanto, provavelmente essa falta de desejo imediato vem da falta de referências e desconhecimento sobre as belezas do país.

A Tunísia está localizada no Norte da África, fica perto do Marrocos, faz fronteira com a Líbia ao leste e Argélia ao oeste, fica ao Sul da Europa e é banhada pelo Mar Mediterrâneo.

Grécia tá muito caro? Então que tal viajar para Tunísia? Esse é um país recomendado para quem gosta de praias e também quer conhecer o deserto.

Dentre suas atrações principais, vale a pena ressaltar o segundo maior Coliseu do mundo, que inclusive foi cenário do filme Star Wars.

Para quem gosta de história, Tunísia também não decepciona: lá está a antiga cidade de Cartago, que compartilhava com Roma a soberania sobre o Mar Mediterrâneo. Depois de muitas batalhas, os cartagineses foram dominados pelo Império Romano. Em decorrência da invasão, a cidade ainda possui templos romanos e ruínas da época de Cartago.

Para quem não dispensa o conforto de um resort pé na areia, a dica é incluir no roteiro Hammamet e Jerba.

Outras sugestões para o seu roteiro: o anfiteatro romano de El Jem e os Oásis do deserto do Sahara.

E quanto ao investimento? Considerado um destino barato, a Tunísia é uma excelente opção para quem gosta de praias, resorts all inclusive e história (sobretudo história da Roma antiga).

A moeda oficial é o dinar tunisiano.



5. República Tcheca

Para quem não abre mão de uma viagem para o continente europeu, a sugestão é a República Tcheca.

Para viajantes apreciadores de história e cultura, com certeza o país é um deleite, principalmente sua capital Praga.

Praga possui as mais diversas opções de hospedagem, ficando a cargo do turista escolher conforme suas prioridades.

Pontos turísticos que não podem ficar de fora do roteiro: Castelo de Praga, considerado o maior do mundo; o Relógio Astronômico, uma obra medieval que está em funcionamento até os dias atuais, localizado na Praça da Cidade Velha; a Igreja Nossa Senhora Diante de Týn; a Ponte Carlos; e o Bairro Judeu.

Para aproveitar ainda mais a sua viagem ao leste europeu (considerando a distância, investimento com passagem e tempo de deslocamento), minha sugestão é combinar Praga com destinos como Budapeste, na Hungria, Bratislava, na Eslováquia além de Cracóvia e Varsóvia, na Polônia. Inclusive, é muito fácil se deslocar de carro ou ônibus entre essas cidades.

E quanto ao investimento? Em relação às atrações, algumas são gratuitas, contribuindo ainda mais para quem viaja com orçamento apertado. E, para completar, Praga proporciona ao visitantes muitos passeios culturais a pé, de modo que o gasto com transporte será reduzido.

A moeda oficial é o Czech Koruna.



6. Vietnã

Seguindo a mesma tendência de outros países do Sudeste Asiático (e até mais procurado pelos turistas brasileiros) como Tailândia, Indonésia e Filipinas, o Vietnã aparece como uma sugestão exótica, encantadora e barata.

Clima equatorial, natureza exuberante, praias, montanhas e vegetação abundante. Além desse belo cenário, um país com uma história bem peculiar de guerra e superação.

A capital Hanói homenageia o famoso líder da era comunista da nação, Ho Chi Minh, com um enorme mausoléu de mármore. A cidade de Ho Chi Minh (antiga Saigon) possui monumentos coloniais franceses, museus da história da Guerra do Vietnã e dos túneis Củ Chi, usados pelos soldados vietcongues.

Para conhecer o melhor do Vietnã, aposte em viagens de ônibus, que são operados por agências de viagens. Para distâncias maiores, há possibilidade de pegar um voo interno.

No roteiro inclua a capital Hanoi, a província de Ha Giang (norte do país) - região sem muitos turistas, Sapa, Ha Long Bay (uma das atrações mais famosas do país), Hue, Hoi An, Mui Ne, Dalat e Ho Chi Minh (antiga Saigon).

Uma viagem ao Vietnã combina perfeitamente com outros destinos igualmente incríveis, tais como: Tailândia, Laos e Camboja.

E quanto ao investimento? Sem dúvida um dos países mais baratos do mundo para viajar.

A moeda oficial é o dong.



7. Namíbia

País vizinho da África do Sul (outra excelente sugestão de destino), a Namíbia é mais um país africano que aparece como tendência aqui na nossa seleção de destinos para viajar pós pandemia.

A namíbia é um dos maiores países da Africa, todavia, é pouco povoado, portanto, prepare-se para percorrer longas distâncias e se encantar com as mais belas paisagens. A Namíbia é um dos melhores países para se fazer viagem off Road

As cidades na Namíbia são definidas, em regra, pelo seu deserto. É justamente nesse país que está o deserto mais antigo do mundo.

Para quem não pretende se aventurar pelo país, a melhor opção é contratar uma excursão que te leva para conhecer o deserto.

Além do deserto, você pode incluir no roteiro Etosha National Park, que é um ótimo parque para se fazer safári.

E quanto ao investimento? A Namíbia é um país com custo médio, considerada por muitos um destino um pouco mais caro que a África do Sul e que alguns países do leste europeu e sudeste asiático. Todavia, comparado aos destinos da Europa Ocidental, o custo é bem menor.

A moeda ofcial é o namibian dollar, mas o Rand (moeda oficial da Africa do Sul também é aceito).



8. Bolívia

Eis mais um destino da América do Sul que pode ser o próximo queridinho de muitos brasileiros, principalmente para quem ama uma viagem repleta de paisagens naturais.

Bolívia é um país ideal para os perfis mais aventureiros e para quem possui boa disposição física. Os passeios, em sua maioria, envolvem viagens longas de ônibus ou carro.

A minha indicação é o Salar do Uyuni, um roteiro que caiu no gosto dos brasileiros e no pós pandemia tem tudo para se manter em destaque.

Além do Salar, vale incluir no roteiro as cidades históricas de Oruro, Cochabamba, Potosí e La Paz.

E quanto ao investimento? Hospedagem, alimentação e transporte são baratos na Bolívia, tido com um dos destinos mais baratos do planeta. Sua viagem pode ficar mais ou menos econômica conforme suas escolhas.

O passeio mais caro é o do Salar do Uyuni, mas ainda assim cabe ao turista decidir pela opção econômica, conforto ou luxo.

A moeda oficial da Bolívia é o boliviano.



9. Honduras

Honduras é um país localizado na América central, ao norte da Nicaragua (inclusive, uma boa combinação de destinos), banhado pelo Mar do Caribe.

Dentre suas atrações principais estão as montanhas, florestas tropicais e praias de mar azul e areia fofa.

Destino perfeito tanto para o turista com perfil explorador, quanto para quem quer a tranquilidade do Mar do Caribe a preços bem mais atrativos do que destinos tradicionais como Cancún e Punta Cana.

Para quem gosta de história, uma das principais atrações de Honduras é a cidade de Copán, o maior sítio arqueológico da civilização Maia.

As Bay Islands são a grande atração do país. Utila é uma ótima oportunidade para quem quer pagar pouco para fazer um curso de mergulhar.

Honduras ainda ainda apresenta rios e cachoeiras para a prática de esportes radicais, sempre com preços baixos.

Desvantagem: o país possui regiões violentas (a exemplo de San Pedro Sula), que devem ser evitadas.

E quanto ao investimento? Os preços diários com hospedagem, alimentação e turismo ficam em torno de 35 dólares por dia, considerando um padrão simples de viagem.

A moeda oficial é a lempira.



10. Egito

Muitos turistas sonham em conhecer as famosas pirâmides do Egito, que merecidamente são tidas como a grande e principal atração do país.

O Egito é um prato cheio para o viajante que ama história antiga e se fascina ao conhecer culturas bem diferentes.

No roteiro, destaque para Cairo, a Mesquita de Muhammad Ali, o Templo de Luxor e o Vale dos Reis.

Por conta da diversidade cultural, é indicado fazer a viagem com guia. Além disso, é fundamental estar acompanhado de alguém que possa te explicar sobre a história e tradições locais. Com certeza sua viagem se tornará muito mais proveitosa.

E quanto ao investimento? O Egito geralmente ocupa as listas dos destinos mais baratos do mundo, portanto, eis uma excelente opção para quem não está disposto a encarar a alta do dólar e do euro frente ao real.

Estima-se que o gasto médio por pessoa é cerca de US$ 35 por dia (considerando uma viagem em padrão simples).

A moeda oficial é a libra egípcia.

Ir para IPO News