Humorista Jô Soares morre aos 84 anos, em São Paulo

Humorista Jô Soares morre aos 84 anos, em São Paulo

O humorista, escritor e apresentador de TV Jô Soares morreu na madrugada desta sexta-feira, dia 5, no hospital Sírio Libanês, em São Paulo, onde estava internado desde 28 de julho. A causa da morte não foi divulgada, e a confirmação do falecimento do multiartista foi feita por sua ex-mulher, Flávia Pedras, em seu perfil do Instagram.



José Eugênio Soares nasceu no Rio de Janeiro em 1938, filho único de uma família abastada que posteriormente perdeu a fortuna. Ele estudou na Suíça e nos Estados Unidos e falava seis línguas, tendo inicialmente interesse em ingressar na carreira diplomática.

Começou sua carreira artística ainda no Rio, participando como coadjuvante em filmes, até se destacar na chanchada "O Homem do Sputnik", de 1959. Foi na virada da década que passou a frequentar as emissoras, inicialmente a TV Rio. Depois veio para São Paulo e atuou nas principais emissoras da época, como Tupi, Excelsior e Record. Nesta última, foi um dos protagonistas da "Família Trapo" (1966), onde contracenava com veteranos das telas como Otelo Zeloni, Renata Fronzi e Ronald Golias.



Em 1970, Jô entrou para a TV Globo, fazendo o programa "Faça Humor, Não Faça Guerra", ao lado de Renato Corte Real. Ali começaram a surgir alguns dos personagens mais famosos do "Gordo". Artista multifacetado, fez programas humorísticos, cinema, teatro e foi roteirista, diretor e escritor de teatro.

Depois de "Faça Humor", criou e estreou seu programa solo na Globo, o "Viva o Gordo", em 1981, sucesso durante anos na emissora, até sair da líder de audiência e, numa nova iniciativa, criar seu primeiro talk-show, no SBT: o "Jô Soares Onze e Meia". O sucesso foi tanto que acabou voltando para a Globo em 2000 para apresentar o mesmo trabalho, rebatizado então de "Programa do Jô". Depois de 11 anos na emissora de Silvio Santos, ficou com o mesmo programa mais 16 na Globo.

Jô casou-se três vezes, com as atrizes Tereza Austragesilo e Silvia Bandeira e com a designer gráfica Flavia Pedras. Com Tereza, teve um filho, Rafael, morto em 2014, aos 50 anos. O velório e o enterro do consagrado artista não serão abertos ao público, mas reservados à família e amigos mais próximos. Sua ex-mulher, Flávia, sugeriu aos fãs que celebrem sua vida com um brinde.

Ir para IPO News