Privatização da Eletrobras movimenta R$ 33,7 bilhões

Privatização da Eletrobras movimenta R$ 33,7 bilhões

Segunda maior oferta mundial deste ano, a principal realizada no País nos últimos 20 anos, a venda teve o preço da ação fixado em R$ 42,00

A venda da estatal Eletrobras em uma oferta pública inicial (IPO) realizada nesta quinta-feira, dia 9, movimentou a quantia de R$ 33,7 bilhões para um montante de 802,1 milhões de ações, com o papel tendo seu preço definido em R$ 42,00 - um meio termo entre o que queriam compradores internacionais e os bancos gestores da comercialização.

O início das negociações dos ADRs na Bolsa de Nova York (Nyse) acontece hoje, sexta-feira (dia 10), e das ações na B3 em 13 de junho, próxima segunda. A oferta primária alcançou R$ 30,76 bilhões, enquanto que a secundária somou R$ 2.93 bilhões.

Com essa negociação, que faz parte de um processo de privatização maior do governo federal, onde também se planeja a venda da Petrobras, a participação da União e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) na companhia elétrica passa dos atuais 68,6% para 36,9% do capital da empresa.

A negociação no modelo de um IPO é tida como a segunda maior deste ano em todo o mundo, de acordo com ranking preparado pela Refinitiv, que pertence à Bolsa de Londres. É menor apenas que a venda de ações da fabricante de bateria coreana LG Energy, que abriu o capital em janeiro e movimentou US$ 10,8 bilhões, na maior oferta já feita na Coreia do Sul. Se forem consideradas apenas ofertas subsequentes, de empresas já listadas em bolsa, a operação da Eletrobras é a maior do mundo este ano.

No âmbito local, fica atrás apenas do processo de capitalização da Petrobras, que em 2010 atingiu o montante de R$ 70 bilhões. Em termos de venda do controle acionário, é a maior venda realizada desde a privatização do sistema Telebras, que foi realizada em várias etapas a partir de 1991 até 2002, movimentando US$ 31.175 bilhões, segundo dados do site do BNDES.

Ir para IPO News