Imagem: Divulgação
Carnaval 2022: Mancha Verde campeã paulista; Grande Rio campeã carioca

Carnaval 2022: Mancha Verde campeã paulista; Grande Rio campeã carioca

O adiamento do Carnaval este ano para abril, por conta do combate à pandemia de Covid-19, fez com que as escolas caprichassem ainda mais na preparação de seus desfiles por todo o Brasil. Após um intervalo de dois anos, os sambistas voltaram com força redobrada, como se viu nos desfiles do Rio e de São Paulo, em que as disputas pelos títulos foram para lá de acirradas.

A Mancha Verde foi anunciada na tarde desta terça-feira, dia 26, campeã do Carnaval 2022 em São Paulo. Com 269.9 pontos, a escola de samba que leva as cores do Palmeiras para a avenida foi a que mais pontuou segundo a apuração realizada no sambódromo do Anhembi. Foi uma disputa duríssima com Mocidade Alegre, Império da Casa Verde e Tom Maior, até o último critério anunciado pela Liga-SP: Comissão de Frente.

Com um acidente antes mesmo de entrar no Sambódromo do Anhembi, a Mancha Verde fez um desfile que começou marcado por problemas na primeira noite do grupo especial. Compensou, porém, com a alegria dos componentes da escola, a beleza dos carros alegóricos e um tema caro a todos: a água.

O acidente foi registrado ainda durante a concentração, quando o braço de uma das alegorias caiu. Era uma parte do carro abre-alas e os membros da agremiação precisaram correr, o que gerou sete minutos de atraso até que a Comissão de Frente entrasse na avenida.

Vice-campeã do Carnaval 2020, a escola originada da torcida organizada do Palmeiras escolheu como tema o samba-enredo "Planeta Água". Esse foi o segundo título conquistado pela Mancha, que este ano não contou com a presença de sua rainha da bateria, Viviane Araújo.

É que a atriz tinha o compromisso de desfilar pela Salgueiro, no Rio, no mesmo dia e horário da apresentação da escola paulista. A rainha, entretanto, não perdeu o posto, e promete estar presente ao desfile das campeãs, neste final de semana, em São Paulo.

No Rio, o público assistiu á vitória inédita da Grande Rio, que depois de bater na trave em 2020, conquistou enfim o tão sonhado título com o enredo "Exu". Desmistificando o senso comum sobre uma das entidades mais adoradas das religiões de matriz africana - mas vista com desconfiança por alguns outros credos - a agremiação de Duque de Caxias (RJ) ouviu os tradicionais gritos de "é campeã" ainda durante o desfile na Marquês de Sapucai.



Grande Rio - Divulgação / Reprodução

A senha era clara: a escola estava forte na disputa pelo título. A vitória veio na tarde desta segunda-feira, com 259.9 pontos garantidos nos nove quesitos avaliados pelo juri.

A rainha da bateria, Paolla Oliveira, brilhou mais uma vez, com uma belíssima fantasia vermelha que realçou ainda mais toda a beleza da atriz globa l. Segundo ela, uma fantasia que exaltava o lado feminino da entidade religiosa. Logo na comissão de frente, uma das mais comentadas do Carnaval, a Grande Rio trouxe uma representação de Exu se erguendo sobre o globo terrestre.

O abre-alas trazia o mar como uma grande encruzilhada com barcas de Exu e assentamentos. Os carros alegóricos representavam locais significativos para a manife stação da entidade, de terreiros, bares e casas de prostituição até mercados municipais, entre outros pontos.

Na umbanda e no candomblé, Exu é quem faz a comunicação entre os humanos e os orixás. É chamado para abrir caminhos e a judar a superar dificuldades. Representado com roupas pretas e um tridente, é associado a uma imagem negativa ou maldosa, justamente o que os carnavalescos tentaram desconstruir agora e parece que conseguiram, diante da grande aprovação do público, do corpo de jurados e da imprensa.

Ir para IPO News