Lewandowski homenageia pai e Jürgen Klopp em texto sobre prêmio de melhor do mundo | Imagem: Getty Images
Lewandowski é eleito pela 2ª vez o melhor jogador do mundo

Lewandowski é eleito pela 2ª vez o melhor jogador do mundo

O polonês Lewandowski foi escolhido, nesta segunda-feira, dia 17, o melhor jogador do mundo pelo segundo ano consecutivo, em eleição promovida pela Federação Internacional de Futebol (FIFA). Sua conquista quebra uma hegemonia que durou uma década, a partir de 2008, com as eleições seguidas do português Cristiano Ronaldo e do argentino Lionel Messi - cinco vezes campeões cada um.

Mesmo com esses dois craques continuando a jogar bem, as performances do polonês nos últimos anos conquistaram os jurados. Na última temporada europeia, a de 2020/2021, o centroavante foi preponderante para o Bayern de Munique faturar o Campeonato Alemão pela nona vez seguida. No ano passado, também fez o gol do título da equipe no Mundial de Clubes, mas o troféu era referente a 2020.

O artilheiro polonês marcou 41 gols em 29 jogos da liga nacional. Quebrou o recorde do alemão Gerd Muller, que havia anotado 40 vezes em 34 partidas em 1971/1972. Lewandowski foi o principal goleador do torneio nos últimos quatro anos.

Na escolha de ontem, ele superou a concorrência de Lionel Messi, vencedor da Bola de Ouro, entregue pela revista France Football, e de Mohamed Salah. O veredito foi alcançado por uma combinação de votos de técnicos e capitães das seleções nacionais e jornalistas selecionados pela Fifa.

A eleição confirmou a má fase dos jogadores brasileiros nessa disputa nos últimos anos. A premiação mais recente do país foi a de Kaká, então no Milan, em 2007. Desde então, apenas Neymar foi duas vezes finalista. Ficou em terceiro em 2015 e 2017, mas nunca conseguiu conquistar o título.

Alexia Putellas, de 27 anos, do Barcelona, ganhou como melhor jogadora de 2021. A meia era considerada a favorita e foi eleita pela primeira vez. Nunca uma espanhola havia vencido a premiação. Ela já havia ficado com a Bola de Ouro da France Football.

A armadora superou a concorrência de sua compatriota e companheira de equipe, Jennifer Hermoso; e da australiana Samantha Kerr, do Chelsea. O Brasil também não teve nenhuma atleta entre as finalistas. A última vitória do país foi de Marta, em 2018.

Campeão com o Chelsea na principal competição europeia, o alemão Thomas Tuchel foi escolhido o melhor técnico de 2021. Ele pode ser adversário do Palmeiras no Mundial de Clubes a ser realizado nos Emirados Árabes no próximo mês. Também do Chelsea, Emma Hayes venceu na categoria das treinadoras.

A chilena Christiane Endler, do Lyon (FRA), ganhou como melhor goleira da temporada e foi a primeira sul-americana da posição a ficar com o prêmio. No masculino, o senegalês Édouard Mendy, do Chelsea, foi considerado o melhor.

Um toque magistral de chaleira marcado contra o Arsenal, fez com que o argentino Erik Lamela, então no Tottenham Hotspur (ING) e hoje no Sevilla, fosse eleito para o troféu Puskás, do gol mais bonito de 2021. Cristiano Ronaldo e a canadense Christine Sinclair receberam prêmios especiais pelos gols marcados por suas seleções. A FIFA elegeu também a equipe ideal do ano, no masculino e no feminino.

No masculino, a escalação foi: Donnarumma (Itália); Alaba (Áustria), Bonucci (Itália) e Rúben Dias (Portugal); De Bruyne (Bélgica), Jorginho (Itália) e Kanté (França); Cristiano Ronaldo (Portugal), Haaland (Noruega), Lewandowski (Polônia) e Messi (Argentina).

No feminino: Christiane Endler (Chile); Millier Bright (Inglaterra), Lucy Bronze (Inglaterra), Magdalena Eriksson (Suécia) e Wendie Renard (França); Estefanía Banini (Argentina), Barbara Bonansea (Itália) e Carli Lloyd (Estados Unidos); Marta (Brasil), Vivianne Miedema (Holanda) e Alex Morgan (Estados Unidos).

Ir para IPO News