"Não Olhe para Cima"-"Don't Look Up", Estados Unidos, 2021 Direção: Adam McKay, Netflix | Imagem: Divulgação
''Não Olhe para Cima'' (Don't Look Up), por Eleonora Rosset

''Não Olhe para Cima'' (Don't Look Up), por Eleonora Rosset

Tarde da noite, Kate Dobiasky (Jennifer Lawrence), estuda o céu, buscando dados para sua tese de doutorado em Astronomia na Universidade de Michigan. Ela é muito aplicada. Enquanto todos dormem, ela vasculha os céus.

E, de repente, não podendo acreditar no que vê, pula da cadeira e procura mais imagens do telescópio.

Horror. Um grande cometa está vindo direto para a Terra.

É um "assassino de planetas", apelido dado a esse tipo de corpo celeste.

Kate se lembra horrorizada de que, há 66 milhões de anos, um asteroide de 10 km de largura atingiu a Terra no lugar onde hoje é o México. Extinguiu 75% de toda a vida no planeta e foi o famoso assassino de dinossauros, que deixou uma cratera de 150 km de diâmetro e 20 de profundidade.

Agora a história se repete, só que muito pior.

Em 6 meses e alguns dias, nossa Terra será destruída e toda vida que há nela.

Kate não quer acreditar em seus olhos e em seus cálculos e chama seu professor, Dr Mindy (Leonardo DiCaprio) para ajudá-la a ver erros em seus números.

Mas para desespero de ambos os números estão exatos e o que ninguém acredita vai acontecer. O fim do mundo.

Pensando em providências, os dois chegam na antecâmara do Salão Oval mas nada acontece como pensaram os cientistas.

A Presidente Jane Orlean (Meryl Streep) está mais preocupada com a reeleição. Seu filho Jason (Jonah Hill), inconsequente e psicopata, acompanha a mãe por todo lado, carregando documentos "top secret" numa brilhante Birkin da Hermès. Os dois fazem piadas com as tragédias anunciadas pelos cientistas.

A imprensa e a mídia social não ficam atrás.

O programa de TV que tem uma super audiência e é comandado por uma loura esfuziante e vulgar, Brie Eventee (Cate Blanchett) e Jack (Tyler Perry), dá alguns minutos para os cientistas mas fazendo tão pouco caso e rindo tanto, que Kate tem um surto e grita a verdade que ninguém quer ouvir. É o fim do mundo e todos vão morrer.

Claro que é retirada e entram os comerciais. Memes de todo tipo invadem a mídia caricaturizando a cientista louca.

Ou seja, o roteiro escrito pelo próprio diretor, Adam McKay, adaptando a história de David Sirota, fala sobre a humanidade e como tratamos o tema da morte. Ou seja, com descaso. Olhando para o outro lado. Mudando de assunto. Esquecendo rápido. Negando. Mentindo. Isso só acontece com os outros. Nunca encarando de frente o perigo final.

O que dá ainda maior relevância ao filme, que é uma sátira bem conduzida, é o fato de que o roteiro foi escrito antes da pandemia. E vimos como muitos se comportam, ainda, frente a um vírus que ameaça a todos. Falta conscientizar muitos de que a ciência desrespeitada é uma ameaça à vida.

As interpretações do elenco brilhante estão à altura dos atores, quase todos ganhadores de Oscar, mas Leonardo DiCaprio assusta com a sua angústia e impotência frente aos fatos e sua postura no personagem do cientista aceitando tranquilamente seu destino. Ele está magnífico.

Mais uma produção NETFLIX que vale a pena ver. E pensar no assunto depois.

( O trailer está no meu blog www.eleonorarosset.com.br )

Ir para IPO News