Imagem: Divulgação
Cidade Matarazzo reunirá hotel, gastronomia e muitas histórias

Cidade Matarazzo reunirá hotel, gastronomia e muitas histórias

O Hospital Umberto Primo, inaugurado em 1904 no bairro de Cerqueira César, próximo à avenida Paulista, é símbolo da arquitetura italiana no Brasil. O complexo hospitalar, que já abrigou a Maternidade Matarazzo, teve suas atividades encerradas em 1993 e, agora, as estruturas repletas de histórias irão abrigar novas experiências para a capital paulista, com a entrada em atividade da Cidade Matarazzo, formada por restaurantes, lojas de grife, espaço para eventos e o luxuoso hotel Rosewood - a mais nova opção seis estrelas da cidade.




Adquirido pelo Groupe Allard em 2008, o empreendimento consumiu investimentos de R$ 2,7 bilhões e é tocado pelo empresário Alexandre Allard, em parceria com uma empresa familiar chinesa, a CTF. O projeto contará com uma imponente torre assinada por Jean Nouvel, premiado arquiteto francês, e com design interno assinado por Philippe Starck, proporcionando um encontro entre o histórico e o contemporâneo



A Cidade Matarazzo tem seus edifícios tombados restaurados e preservados, incluindo a Capela Santa Luzia, o primeiro imóvel de todo o complexo de 15 mil metros quadrados finalizado, com uma missa realizada no dia 13 de novembro último. A próxima estreia é a do Rosewood, prevista para 10 de janeiro. Seus dois bares - Le Jardín e Rabo di Galo - já estão atendendo ao público.



Além desses equipamentos restaurados, o complexo é formado por um grande jardim composto por árvores comuns à Mata Atlântica, como jatobás, sibipirunas, pitangueiras, canelinhas, jacarandás e goiabeiras. A proposta de Alexandre Allard, apesar do aspecto privado do projeto, é manter algumas áreas livres para acesso geral. Caso da Capela Santa Luzia e do Jardim das Oliveiras, cujas plantas foram trazidas do Uruguai para decorar uma das entradas do empreendimento.

Ir para IPO News