Imagem: Wander Roberto/COB
Rayssa Leal, a “fadinha“ de 13 anos, é prata em Tóquio

Rayssa Leal, a “fadinha“ de 13 anos, é prata em Tóquio

Em um histórico momento para o esporte olímpico do Brasil, a jovem maranhense Rayssa Leal se tornou na madrugada desta segunda-feira, dia 26/07, a medalhista mais jovem do País. A "fadinha" conquistou a prata no skate street - a mesma categoria que deu a primeira prata com o paulista Kelvin Hoefler.

Rayssa, de apenas 13 anos, superou quase todas as suas concorrentes e só parou na japonesa, também de 13 anos, Momiji Nishiya, que ficou com o ouro. Para se ter uma ideia do desafio que a "pequena grande" Rayssa enfrentou, a terceira colocada também foi uma japonesa, que, disputando em "casa", ficou com o bronze.

"Eu estou muito feliz porque eu pude representar todas as meninas, Pâmela e Letícia, que não chegaram na final, e todas as meninas do skate. Poder realizar meu sonho de estar aqui, conquistando uma medalha, é muito gratificante pra mim e pros meus pais", declarou a jovem aos jornalistas.




Pâmela Rosa e Letícia Bufoni, duas das favoritas à medalha de ouro, não tiveram o mesmo desempenho de Rayssa Leal e ficaram de fora do street feminino. Apesar de terem lutado bastante, não tiveram atuação boa para passar para as finais. Pâmela foi a que sentiu mais a desclassificação, e saiu da pista visivelmente decepcionada.

A "fadinha" Rayssa Leal também tem outra paixão: o futebol. Já quis até ser jogadora, e é torcedora do Corinthians. Mas afirmou que ficou muito feliz em ter torcedores de todos os times celebrando sua conquista. E o apelido? Ela ganhou no ano de 2015, aos sete anos de idade, após circular um vídeo em que aparecia fazendo manobras de skate usando uma fantasia azul de fada.

Ir para IPO News